Acidente/Impacto traseiro

Quando se falam em cadeiras no sentido contrário à marcha, uma das grandes questões é: Então e se o acidente for por trás? Não será então perigoso viajarem assim? Não!

Este tipo de acidente é mais raro e muito menos mortal para uma criança do que outro tipo de colisão. Mas para muitos pais, a preocupação persiste nos acidentes traseiros. 
Uma cadeira em contra marcha, protege bem as crianças quando expostos a um acidente deste tipo. Sustentam devidamente a criança e fazem o trabalho de manter a cabeça/pescoço e coluna alinhados. Muita da energia é absorvida através da cadeira auto e pela própria carroçaria do automóvel, pelo que a energia a chegar à criança, é pouca, o que é importante para evitar lesões. 
Nós já sabemos que cadeiras em conta marcha têm uma percentagem mínima de lesões em acidentes reais que são frontais, resta-nos esclarecer sobre os acidentes traseiros.

Num acidente frontal, os ocupantes são atirados para a frente do veículo. Uma criança numa cadeira em contra marcha, num cenário destes, é atirada contra a sua cadeira auto, que está lá para a proteger e todas as forças, são distribuídas de igual forma pelas costas da criança. 
Num impacto traseiro, pela física, estamos à espera de ser atirados para a parte de trás do automóvel, mas no caso de uma criança em contra marcha, a cadeira auto vai acompanhá-la e suportar a cabeça, pescoço e coluna. Não esquecer que a criança está agarrada à cadeira.
Em algumas vezes, dependendo sempre do tipo de acidente, a cadeira “roda” para cima, como se fosse contra o banco, mas mantém a criança segura graças à barra anti-rotação ou aos low-tethers, evitando o esmagamento ou lesões na criança, daí ser importante ter uma cadeira com bons elementos de segurança. 
A parte debaixo da cadeira também está em contacto com o assento do automóvel, e grande parte da energia do acidente é absorvida nessa ligação, ou seja, menos energia a ser transferida para a criança., logo, menos lesões.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é 20180626_05402510752700848675027.jpg

Quando é que uma cadeira em contra marcha é menos segura do que uma cadeira a favor da marcha? 
Num acidente traseiro, DESDE QUE, estejamos a circular em marcha-atrás! Mas quando digo circular, não me refiro a sair do estacionamento ou manobras, é uma viagem a 50km/h no minimo. 
Pintando o desenho na nossa cabeça, ao estarmos a fazer marcha-atrás, aquando dum impacto, é como se circulássemos a favor da marcha, e aí, a cabeça/pescoço da criança será lançada para fora da estrutura da cadeira, levando uma enorme carga sobre a coluna, com os riscos que todos conhecemos. 
Pomos em prática a 1ª lei de Newton, “Todo corpo permanece parado ou em movimento rectilíneo uniforme (MRU) a menos que uma força seja aplicada nele”
Num impacto frontal – estamos a falar dum acidente traseiro, em marcha atrás, visto ao contrário para explicar o que acontece em FF. O nosso corpo é forçado a mudar a sua posição quando o automóvel arranca e continua a sua marcha. Independentemente da velocidade a que circula o automóvel, é a velocidade a que o nosso corpo está. À medida que o automóvel aumenta a sua velocidade, a aceleração é elevada ao quadrado e o nosso peso aumenta. Facilmente percebemos se disser que após a travagem do automóvel, o nosso corpo contínua em movimento, à velocidade que seguia o automóvel. 
Para nos segurar, precisamos de algo que exerça a mesma força mas na direcção oposta – a nós adultos, neste desenho, teríamos o banco a segurar-nos. 

Traduzindo para uma cadeira auto, existem duas forças diferentes:
O arnês em direcção ao corpo, impedindo que a criança seja atirada para fora da cadeira/automóvel;
A cabeça, que não sendo segurada por nada, é lançada para o ponto de impacto com uma força descomunal, podendo atingir meia tonelada a apenas 50km/h. Não falamos no pescoço, porque é simplesmente impossível de suportar esse peso. 
Voltando ao Newton, aumentando a velocidade, aumentamos a força a que somos disparados. 

Mas agora pergunto eu: 
Quem é que circula em marcha atrás? Ninguém! 
Se conseguirmos pintar o desenho ao contrário, isto é, transformar o acidente em marcha trás num acidente frontal, o mais comum, a criança que viajar em contra marcha, terá o apoio da cadeira na parte de trás, não havendo qualquer tipo de lesão ao nível da cabeça ou pescoço, e foi segura pelo arnês. 
Por outro lado, nós adultos e qualquer criança que viaje a favor da marcha, seremos atirados para a parte da frente do carro, provocando as lesões mais conhecidas como cabeças partidas, contusões, derrames a nível cerebral, inchaço cerebral, decapitação interna, morte… 
Viajando em contra marcha, até podem partir uma perna, mas a perna trata-se, a morte ou uma paralisia não.

Recentemente, num caso real de um embate de um camião num carro ligeiro, a uma velocidade elevada – 90km/h se não me falha a memória – saíram duas crianças completamente ilesas, a mãe, que conduzia, ficou durante uns belos dias com dores no pescoço, entre outros. 

Mesmo num acidente traseiro, a cadeira em contra marcha é o mais seguro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.